Ordem e regresso

As tensões e conflitos nos discursos referentes a Canudos viraram plano de aula. Pesquisadora da RHBN sugere atividades para o professor fazer com alunos do 1º ano do Ensino Médio

Agnes Alencar

  • Guerra de Canudos, tema de capa da Revista de História de dezembro, é geralmente trabalhada nas escolas como um dos conflitos derivados da resistência à República recém-instaurada no Brasil, naquele final do século XIX. Com a vitória do projeto positivista para a República brasileira, as outras ideias de Brasil ficaram, de alguma maneira, silenciadas.

    Canudos é uma oportunidade privilegiada para trabalhar em sala de aula os discursos contrários ao progresso pregados pelos republicanos no poder; bem como é uma boa ponte para se investigar a construção de discursos que buscavam deslegitimar aquele movimento, alguns dos quais persistem ainda hoje em livros didáticos.

    A aula é proposta para alunos do primeiro ano do Ensino Médio de modo a permitir-lhes entrar em contato com a documentação de época.

     

    Ano pretendido:

    1º Ano do Ensino Médio

     

    Objetivos da Aula

    -Compreender os discursos dominantes referentes à República, à ordem e ao progresso.

    -Perceber os interesses nas construções de diferentes discursos sobre um mesmo tema

    -Compreender as reivindicações do movimento de canudos e sua relevância

    -Compreender os motivos que o colocam em oposição ao projeto vigente de república

     

    Conceitos que podem ser trabalhados

    -Messianismo

    -Identidade/Alteridade

    -Ordem/Progresso

    -Positivismo

     

    Sugestão de Material

    -Revista de História da Biblioteca Nacional N. 111, Canudos

    -Trechos da obra Os Sertões, de Euclides da Cunha

    -Charges do período de autoria de Angelo Agostini, publicada na Revista Ilustrada, disponíveis no Site da Biblioteca Nacional. [http://hemerotecadigital.bn.br/revista-illustrada/332747]

    -HQ Os Sertões, adaptada por Rodrigo Rosa. Editora Desiderata.

    Imagens de Flávio de Barros. Muitas estão disponíveis online no site Portfolium e no site Berrante.

     

    Sugestão de Desenvolvimento

    1 etapa

    Propor uma leitura de um trecho da HQ como abertura da aula. Após finda esta leitura, apresentar alguns discursos da época: charge de Agostini, foto de Barros, trecho da obra os Sertões.

    2 etapa

    Apresentar a república (ou retomar o tema se for o caso) e tratar um pouco das discussões referentes a ordem e progresso. Discutir com os alunos sobre quais era os espaços de manifestação popular, enfatizando que apesar deste projeto de república conceder pouco ou nenhum espaço para participação do povo, havia outras maneiras através das quais o povo falava. Apresentar as reivindicações de Canudos, colocando-os em contraste com os ideais republicanos e explicando a sua especificidade geográfica.

    3 Etapa

    Retomar os discursos sobre o conflito dando ênfase ao discurso oficial que desmerecia o movimento, tratando-o como sendo um movimento de atraso, liderado por um lunático e seguidores cegos.

    4 Etapa

    Desenvolver com os alunos uma atividade que lhes permita perceber a construção de discursos no período e relativizar os documentos com os quais estão lidando.

     

    Recursos para o professor

    CUNHA, Euclides. Os Sertões. São Paulo: Editora Nova Cultural, 2002.

    DOBRORUKA, Vincente. O Antonio Conselheiro de Euclides da Cunha: Como se faz um profeta. Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 1996

    FONTENELLE, Paulo. Sobreviventes: Filhos da Guerra de Canudos, 2004 (DVD)

    HERMANN, Jacqueline. No Reino do Desejado: a construção do sebastianismo em Portugal séculos XVI e XVII. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

    LEVINE, Robert M.. O sertão prometido: o massacre de Canudos. São Paulo: EDUSP, 1995.

    MONTEIRO, Vanessa Sattamini Varão. Crianças do Sertão: a historia de vida dos jaguincinhos da guerra de Canudos. Dissertação(mestrado). Rio de Janeiro: Departamento de História – PUC-Rio, 2011.

    SILVA, Rogégio Souza. Antonio Conselheiro: a fronteira entrea civilização e a barbárie. São paulo: Anablume, 2001.

    VILLA, Marco Antonio. Canudos: Povo da Terra. São Paulo: Editora Ática, 1995.

Compartilhe

Comentários (0)