Ranking dos brasileiros

Quem são os 'bons' e 'maus' da História nacional? Vote!

  • Responda rápido: quais foram os melhores e os piores brasileiros da História? Tudo bem, não precisa ser rápido; afinal, é uma pegadinha difícil de equacionar. Para muitos, impossível — os melhores como? Quais os critérios de comparação? Em que área de atuação? Na vida pública ou na convivência pessoal?

    Aos que vêm com a problemática, como diria o homem-gol Dadá Maravilha, aqui vai a “solucionática”: não é pesquisa para se levar a sério demais. Tem valor científico e estatístico igual a zero. Mas quem disse que História não pode ser discutida em mesa de bar?

    Convocamos para a tarefa de eleger os “heróis” e os “vilões” do Brasil uma distinta seleção de historiadores, professores, jornalistas, economistas, políticos e artistas, protegidos pelo anonimato para louvar e condenar quem bem entendessem.

    Cada entrevistado podia votar em até cinco pessoas para o bem, outras cinco para o mal. Recebemos pouco mais de 200 votos.

    Machado de AssisA primeira característica da alma brasileira revelada nas respostas foi a transgressão. O único critério a ser respeitado foi sumariamente atropelado por muitos participantes. Pedimos que os escolhidos fossem figuras já falecidas, mas talvez a vontade de ver muita gente “no caixão” tenha falado mais alto. O leitor pode deduzir por conta própria quais são alguns desses “mortos-vivos”, poupando-nos do risco de processos criminais por injúria.

    Abrindo o panteão dos mais queridos, duas personalidades do século XIX: Machado de Assis e D. Pedro II, empatados com sete votos cada. Para não ficarmos sem campeão, o escritor leva o título, pois o longevo imperador tem a desaboná-lo dois votos como um dos piores brasileiros.

    Outros personagens controversos repetiram a proeza de figurar nas duas listas: Juscelino Kubitschek e Leonel Brizola.

    Curiosamente, a porção ditador de Getulio Vargas não lhe rendeu nenhum voto, prevalecendo a imagem de grande estadista, que o alçou ao terceiro posto entre os “heróis”. Sobrou para Filinto Muller, chefe de polícia de Vargas durante o Estado Novo, um dos mais odiados. 

    De modo geral, parece que o Brasil tem mais heróis do que vilões. Nas artes (principalmente na música), na ciência, na política e até no esporte, os participantes se lembraram de nada menos que 56 nomes valorosos. De Antônio Conselheiro ao marechal Rondon, de Ayrton Senna ao barão de Mauá, de Chiquinha Gonzaga a Betinho, o orgulho brasileiro se manifesta em múltiplos tons.

    Menções honrosas para Oswaldo Cruz, Sérgio Buarque de Holanda, Patrícia Galvão (Pagu), Paulo Freire, Rui Barbosa, José Bonifácio, Mário de Andrade e Luís Carlos Prestes. Digna de nota também foi a mísera votação de um outrora grande herói: Tiradentes levou apenas uma menção.

    Do lado do mal, os matizes são menos variados e a memória é mais curta. Foram citados 33 nomes, quase todos do século XX, a grande maioria da década de 1960 para cá. A ditadura militar paga a sua fatura com o time completo: os presidentes Castelo Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo foram votados, além do delegado Sérgio Paranhos Fleury. Médici é o vilão número 1, com inquestionáveis 12 votos.

    Sobrou também para os governadores Carlos Lacerda (do antigo estado da Guanabara) e Antônio Carlos Magalhães (da Bahia), o jornalista Roberto Marinho e um dos alcagüetes mais famosos da história nacional, Joaquim Silvério dos Reis. Ao lado do fofoqueiro que entregou Tiradentes à Coroa estão desde parceiros clássicos de traição, como Calabar, até figuras mais polêmicas, como o economista Roberto Campos, o presidente Jânio Quadros, o patrono do Exército, duque de Caxias, o imperador D. Pedro I e o líder integralista Plínio Salgado.

    Antes que eles venham nos assombrar, vale a ressalva de que o imaginário histórico é fruto da cultura da época e dos valores sociais vigentes, transformando-se radicalmente de tempos em tempos, etcétera e tal. Resumindo com a tradicional cordialidade brasileira: ninguém é perfeito.

    Mas fica o alerta para os vivos: tem uma fila enorme doida para votar em vocês na próxima, assim que empacotarem. Sua cabeça é seu guia.

    Veja o ranking das respostas dos entrevistados dessa reportagem

    Melhores:
     
    Machado de Assis – 7
    D. Pedro II – 7
    Getulio Vargas – 6
    Juscelino Kubitschek – 5
    Zumbi – 4
    José Bonifácio – 3
    Luís Carlos Prestes - 3
    Mário de Andrade – 3
    Oswaldo Cruz - 3
    Patrícia Galvão (Pagu) - 3
    Paulo Freire - 3
    Rui Barbosa - 3
    Sérgio Buarque de Holanda 3

     


    Piores:

    Emilio Garrastazu Médici – 12
    Artur da Costa e Silva – 8
    Sergio Paranhos Fleury – 7
    Antonio Carlos Magalhães – 6
    Carlos Lacerda - 6
    Filinto Muller – 6
    Humberto Castelo Branco – 6
    João Batista Figueiredo – 6
    Roberto Marinho - 4
    Calabar – 3
    D. Pedro I – 3
    Duque de Caxias – 3
    Jânio Quadros – 3
    Joaquim Silvério dos Reis – 3
    Plínio Salgado – 3
    Roberto Campos – 3

     

    Ranking da Revista

    A equipe da Revista também deu seus palpites e elegeu Machado de Assis e Santos Dumont, seguidos de D. Pedro II , como "melhores". Já Filinto Müller e Emilio Garrastazu Médici despontaram sob o rótulo de "piores". Confira o placar:



    Melhores:

    Machado de Assis - 4
    Santos Dumont - 4
    D. Pedro II - 3
    Cartola - 2
    Chico Mendes - 2
    Darcy Ribeiro  - 2
    Zumbi - 2
    Aleijadinho
    Antonio Conselheiro
    Ayrton Senna
    Betinho
    Getúlio Vargas
    Juscelino Kubitchek
    Marechal Rondon
    Mario de Andrade
    Mestre Bimba
    Nelson Rodrigues
    Oswaldo Cruz
    Padim Cíço 
    Raul Seixas
    Tarsila do Amaral
    Tom Jobim

    Piores:

    Filinto Muller - 7
    Emilio Garrastazu Médici - 7
    Artur da Costa e Silva - 2
    Domingos Jorge Velho - 2
    Antônio Carlos Magalhães - 2
    Moreira César - 2
    Roberto Marinho - 2
    Duque de Caxias 
    Ernesto Geisel
    Lampião
    Luis Carlos Prestes
    Jânio Quadros
    Joaquim Silvério dos Reis
    Roberto Campos

     

     

     

    Liste os seus preferidos e rejeitados clicando no Comente abaixo.

Compartilhe

Comentários (96)